Diagnóstico das disfunções da ATM

Disfunções da ATM

Diagnóstico das disfunções da ATM

Milhares de pessoas sofrem diariamente de dores crônicas de cabeça, assim como na mandíbula, na face, pescoço, ombros, etc., porém, poucos sabem que todos esses incômodos podem ser também provenientes de algum problema da articulação temporomandibular(ATM) e dos músculos mastigatórios com seus terríveis pontos gatilho que precisam urgentemente serem tratados, ou seja, sofrem de DTM.

Esta patologia precisa ser investigada e tratada se necessário, ou seja, os pacientes que sofrem precisam receber o alívio que merecem para não receberem terapias impróprias como o uso exagerado de remédios viciantes e até mesmo serem submetidos a operações desnecessárias.

Os sintomas desta disfunção quando olhamos com olho clínico é bem elevado. E é por isso que a precisão de diagnóstico e de como trata-la é muito importante para os pacientes.

Em meu consultório inúmeros casos de DTM muscular foram resolvidos ao tratar os pontos gatilho e acalmando a ansiedade dos pacientes usando técnicas respiratórias, tais como a respiração diafragmática associada a exercícios de correção de postura e de não apertamento dos dentes, o consagrado Physical Self Regulation (PSR) criado por Eliot Freidson considerado um dos fundadores da Sociologia Médica e que é uma técnica comportamental fisiológica que trabalha em mudanças de hábitos posturais inadequados e prática da respiração diafragmática. É útil na dor crônica, ansiedade e estresse associados e, substitui a respiração peitoral e com os músculos dos ombros e das costas, pela respiração diafragmática, e que tão bons resultados têm trazido aos meus pacientes.

A Terapia Cognitiva Comportamental também tem trazido excelentes resultados.

A ansiedade e o estresse sempre acompanham o paciente de DTM.

Nem sempre a DOR é o que faz o paciente procurar tratamento.

Tenho tratado de vários pacientes que se assustam quando há um deslocamento da mandíbula ao bocejar ou dar gargalhada sendo que só nessa hora é que sentem dor, nem sempre conseguindo fechar a boca. Antes não, nem suspeitavam que tinham problemas de tal ordem.

A avaliação de todo paciente procurando sinais patológicos tanto nos músculos na região da cabeça, pescoço, ombros, quanto nas ATM usando diagnóstico de imagem e laboratoriais deve ser sempre o primeiro passo de investigação.
O ser humano é um ser complexo, por mais que tentemos defini-lo, e pelo sintoma dor não conseguiremos descobrir qual é a patologia a ser tratada: a ATM ou a Dor Miofascial?

A investigação tem de ser completa, pois veremos que nenhuma delas funciona bem sem o tratamento da outra.

E o doente deve ser sempre o nosso alvo do tratamento.

A sua saúde é que é o nosso compromisso.

 Os deslocamentos dos discos da ATM são produtos das alterações dos ligamentos. Luxação anterior do disco não é um diagnóstico e sim um sinal que pode ser provocado por diferentes causas. E essa causa precisa ser investigada para que a nossa terapia funcione corretamente.

As imagens poderão nos orientar na doença existente, mas as análises de laboratório poderão ser necessárias para mudar o diagnóstico. A ocorrência de fatores bacterianos como causas de alterações da ATM já foi amplamente descrita por vários profissionais estudiosos do assunto, como também em articulações de todo o corpo.
Os estudos mais comuns são os utilizados para diagnosticar a existência de infecções por causa de Estreptococo Beta Hemolítico e Clamídias Trachomatis, Clamídias Pneumoniae e Microplasmas.
A imunologia é sem dúvida uma das armas nos fatores etiológicos das doenças da ATM. Exames como a pesquisa do fator reumatoide e até os mais específicos solicitados pelo médico Reumatologista devem ser solicitados. Muitas vezes é necessário que o paciente troque de antibiótico como aconteceu recentemente com uma paciente minha com diagnóstico de febre reumatoide.

Por isso é necessário o pedido de novos exames para acompanhar as reações do paciente ao tratamento que está sendo executado.

Um diagnóstico correto é a chave para o sucesso do tratamento de toda e qualquer DTM, seja ela articular ou uma dor miofascial, ou ambas associadas.

Só aí o tratamento deve ser iniciado.

Após o diagnóstico correto.